Caminhadas e Trilhas

Unimed Sul Capixaba

Notícias


04.09.2012

Onça Parda aparece em Vargem Alta: um meio ambiente de melhor qualidade !

 

 

Uma onça parda foi capturada fotograficamente nas imediações da RPPN Mata da Serra (www.caminhadasetrilhas.com.br/rppnmatadaserra) . A presença de um animal deste porte é prova que o meio ambiente pode estar recuperando a qualidade. Os animais do topo da cadeia alimentar exercem fundamental papel no equilíbrio ambiental. A onça parda, uma águia, um abutre, uma jaguatirica para a Mata Atlântica são exemplos destes animais.

 
Parabéns aos biólogos Helimar Rabello e Dinho, da Habitatil pelo trabalho e notadamente, pelo trabalho que estão fazendo naquela Reserva Particular do Patrimônio Natural.
 

http://globotv.globo.com/tv-gazeta-es/estv-2a-edicao/v/onca-parda-aparece-em-reserva-na-regiao-serrana-do-es/2117640/

http://www.youtube.com/watch?v=IcoyDkIelww

 

 

Onça Parda ou Suçuarana

Ordem: Carnivora
Família: Felidae
Nome popular: Onça-parda / Suçuarana
Nome científico: Puma concolor.
Distribuição geográfica: América do Norte, Central e Sul. Habitat: Montanhas, florestas tropicais, cerrados.
Hábitos alimentares: carnívoras.
Reprodução: gestação 90 a 96 dias.
Período de vida: as fêmeas até 12 e os machos até 20 anos, aproximadamente

Nesta espécie os machos medem da cabeça ao final do corpo de 105 a 196 cm, com cauda de 66 a 80 cm, pesando de 67 a 103 kg. Já as fêmeas, da cabeça ao final do corpo medem de 96 a 151 cm, com cauda de 53 cm a 80 cm, pesando de 36 a 60 kg. A altura, no ombro, é de cerca de 60 a 70 cm.

Possuem corpo alongado, a cabeça pequena, pescoço e cauda longa, membros inferiores e posteriores muito fortes, orelhas pequenas, curtas e arredondadas, possui muita agilidade podendo pular cerca de 5,5 m. Ao contrário de outros grandes felinos como o leão e a onça-pintada, a suçuarana não urra. Sua vocalização está muito mais próxima dum miado, porque, como os pequenos felídeos, seu hióide não é elástico e carece de grandes pregas vocais.

Noturnos e diurnos caçam a qualquer hora do dia com uma certa tendência ao horário de crepúsculo ou quando a fome aperta. Alimentam-se em natureza de vários animais, como roedores, ungulados como veados, aves e lagartos. Estima-se que a frequência com que matam para comer varia de um veado a cada 3 dias para as fêmeas com filhotes e de um veado a cada 16 dias para indivíduos adultos solitários. Na América do Sul, os nascimentos acontecem entre fevereiro e junho.

O cio dura em torno de 03 a 04 dias com intervalos de 23 dias entre uma e outra, a gestação de 90 a 96 dias com nascimento de 01 a 06 filhotes, há 03 pares de mamilos, nas fêmeas, exatamente o número máximo de filhotes que nasce. Pesam de 200 a 400 g e as manchas desaparecem aos 06 meses. As fêmeas atingem maturidade sexual depois de 2,5 anos e os machos só aos 3 anos.

Simonne Chinem / Geraldino de Souza

 

 

Caminhadas e Trilhas

Todos os direitos reservados © 2016 Caminhadas e Trilhas.